Melhore seus relacionamentos com uma comunicação eficaz !

Melhore seus relacionamentos com uma comunicação eficaz !

Conflito em um relacionamento é algo praticamente inevitável. Em si, o conflito não é um problema. No entanto, o modo como é tratado pode aproximar as pessoas ou destruí-las. Pouca habilidade na comunicação, desentendimentos ou mal entendidos podem ser combustíveis para raiva e distanciamento. Vejamos abaixo algumas recomendações para uma comunicação eficaz e obtenção de resultados positivos.

Mantenha o foco

É comum trazermos conflitos aparentemente relacionados ao passado quando se lida com os atuais. Provavelmente acreditamos ser relevante abordar tudo o que está incomodando de uma só vez e falarmos sobre tudo enquanto estamos lidando com algum conflito.

Infelizmente, esse tipo de postura acaba por ofuscar a questão principal (tornando-a ainda mais desgastante e até mesmo confusa), aumentar o nível de tensão ou distanciamento entre as partes e, por fim, menos provável o encontro de soluções satisfatórias para ambos os lados.  

A fim de não cometer esse tipo de erro, mantenha o foco no assunto presente, no tema em discussão, no que de fato esteja acontecendo, na real necessidade a ser atendida. Tente não mencionar mágoas passadas ou outros tópicos. Respeite seus sentimentos; mas também procure acolher as necessidades e sentimentos do outro (pratique empatia).

É ainda importante não tornar as coisas pessoais. Para isso, mantenha o foco na questão, no problema a ser resolvido e não na pessoa com a qual está discutindo.

Ouça com cuidado

As pessoas geralmente pensam que estão ouvindo; quando na verdade já estão pensando em suas próximas respostas, no que irão dizer assim que a outra pessoa parar de falar. (Tente notar se você fizer isso na próxima vez que estiver em uma discussão.).

Embora possa inicialmente lhe parecer difícil, tente realmente ouvir o que as outras pessoas estão lhe dizendo. Não interrompa. Não fique na defensiva. Apenas ouça e repita de volta (resuma, recapitule) o que estão lhe dizendo para que saibam que você ouviu. Assim o fazendo, você criará a oportunidade de “clarificar” a questão e de compreender melhor tanto sobre o assunto, quanto sobre o “outro”. Muito provavelmente, os “outros” também se tornarão mais dispostos a ouvi-la.

Não dê conselhos (a menos que expressamente solicitado). É comum querermos dar conselhos imediatamente e “consertar” o problema dos “outros”. Porém, conselhos não solicitados tendem a criar estresse. Os “outros”, assim como eu e você, querem apenas ser ouvidos, compreendidos, acolhidos.

Tente compreender o ponto de vista do “outro”

Em um conflito, a maioria de nós quer se sentir ouvida e compreendida. Nós falamos muito sobre o nosso ponto de vista para fazer a outra pessoa ver as coisas do nosso jeito. Isso é compreensível, mas muito do foco em nosso próprio desejo de ser compreendido acima de tudo pode sair pela culatra. Ironicamente, se todos fizermos isso o tempo todo, haverá pouco foco no ponto de vista da outra pessoa e ninguém se sentirá compreendido.

Tente realmente ver o outro lado e então você poderá explicar melhor o seu. Se você não “entender”, faça mais perguntas até conseguir. Outras pessoas estarão mais dispostas a ouvir quando se sentirem ouvidas.

Responda às críticas e provocações com empatia

Quando alguém chega até você com críticas ou provocações, é fácil sentir que estão erradas e logo ficar na defensiva.

Embora as críticas sejam difíceis de ouvir e muitas vezes exageradas ou coloridas pelas emoções da outra pessoa, é importante ouvir o que incomoda, a dor da outra pessoa e responder com empatia aos seus sentimentos. Aproveite a oportunidade e observe o que pode haver de verdadeiro no que eles estão dizendo e que possa ser uma informação útil e valiosa para você.

Reconheça o que é seu

A responsabilidade pessoal é uma força, não uma fraqueza. Uma comunicação eficaz envolve admitir quando você está errado. Se ambas as partes compartilham alguma responsabilidade em um conflito (o que geralmente é o caso), que cada um procure e admita o que é seu. Esse tipo de atitude alivia a situação, dá um bom exemplo e demonstra maturidade. Também inspira muitas vezes a outra pessoa a se comportar da mesma forma, aproximando-os da compreensão mútua e de uma solução.

Fale sobre como se sente

 Em vez de dizer coisas como: “Você realmente estragou tudo aqui”, comece as declarações com “eu” e fale sobre si mesmo e seus sentimentos, como: “Sinto-me frustrado quando isso acontece”. É menos acusatório, gera menos defensividade e ajuda a outra pessoa a entender seu ponto de vista, em vez de se sentir atacado.

Procure por compromisso

Em vez de tentar “vencer”, ganhar a discussão, procure por soluções que atendam às necessidades de todos. Seja por meio de um compromisso ou de uma nova solução criativa, ofereça às partes o que elas mais desejam – essa atitude é muito mais eficaz do que uma pessoa conseguir o que deseja às custas do outra. Uma comunicação saudável envolve encontrar uma solução com a qual ambos os lados possam ser felizes.

Tire um tempo

Às vezes os ânimos se esquentam e é muito difícil continuar uma discussão sem que isso se transforme num embate pessoal, numa briga. Se você se sentir ou se você perceber que o outro está começando a ficar com raiva demais de forma que a discussão deixe de ser construtiva, não há problema em fazer uma pausa na discussão até que ambos se acalmem. Isso pode significar dar um passeio e se refrescar para voltar à conversa em meia hora; “dando um tempo” para que você possa processar o que está sentindo um pouco mais, ou o que quer que seja a melhor opção para as partes – contanto que voltem à conversa dentro do tempo combinado. Boa comunicação também significa saber quando fazer uma pausa.

Não desista

Embora dar uma pausa na discussão seja às vezes uma boa ideia, volte sempre para ela. Se ambas as partes abordarem a situação com uma atitude construtiva, respeito mútuo e disposição para ver o ponto de vista do outro ou, pelo menos, encontrar uma solução, certamente avançarão em direção à uma solução para o conflito. A menos que seja hora de desistir do relacionamento, não desista da comunicação.

Peça ajuda se precisar

Se um ou os dois tiverem problemas para permanecer respeitoso durante um conflito ou se você já tentou solucionar um conflito com seu parceiro sozinho e a situação não parece estar melhorando, você pode e deve pedir ajuda a um “moderador”. Se a questão for íntima, pense na possibilidade de consultar um terapeuta. Aconselhamento de casais ou terapia familiar pode fornecer ajuda com brigas e ensinar habilidades para resolver conflitos futuros. Se seu parceiro não quiser ir, você ainda pode se beneficiar de ir sozinha.

Lembretes

O objetivo de uma comunicação eficaz deve ser o entendimento mútuo e a busca por uma solução que agrade a ambas as partes; e não “ganhar” o argumento ou “estar certa”.

Tenha em mente que é importante permanecer respeitoso para com a outra pessoa, mesmo que você não goste de suas ações.

O que achou desse artigo?

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.