RICARDO BOECHAT: depressão ou estresse ?

Ricardo Boechat

Por estes dias tem sido veiculado nas mídias sociais o relato do jornalista Ricardo Boechat; o qual, minutos antes de começar seu programa de rádio, sofreu de um colapso, de um apagão. Segundo seu próprio relato, ele teve um “surto depressivo agudo”.

Depressão ? Como Assim ?

Vamos tentar entender um pouquinho melhor essa questão.

Segundo a cultura popular, deprimido é o indivíduo “fossa” ou “baixo astral”; o famoso “desanimado”, “morto”.

Já a psicologia diz que sofre de depressão o indivíduo que tem experiências de extrema tristeza ou desespero. Os indivíduos deprimidos tendem a se sentir impotentes e sem esperança, culpando-se por terem esses sentimentos. A depressão interfere com as atividades da vida diária, tais como trabalhar ou concentrar-se em tarefas, ou mesmo comer e dormir. Algumas pessoas podem sentir-se irritadas ou agitadas por longos períodos; oprimidas e exaustas deixando completamente de participar de certas atividades quotidianas (assuntos relacionados com a família e amigos, por exemplo). As pessoas sob depressão deixam de se importar-se com suas próprias vidas;perdem o sentido de futuro, deixam de ter prazer nas coisas que anteriormente lhe eram significativas.

Sob a ótica da psiquiatria, segundo o Prof José Alberto Del Porto, titular do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo, para o diagnóstico de “Transtorno Depressivo Maior” basta que a pessoa apresente “humor deprimido ou perda de interesse ou prazer, durante um período de duas semanas”, mais quatro sintomas de uma lista de nove (ou mais três sintomas, se os dois primeiros estiverem presentes). Assim, por exemplo, se uma moça que brigou com o namorado apresentar tristeza e perda de energia por 15 dias, além de mais três sintomas, como insônia, perda de energia e capacidade diminuída de se concentrar, terá preenchido critérios para “Transtorno Depressivo Maior”.“

Bem, mas o Boechat em momento algum falou em “tristeza”. De seu relato consta: Os médicos que estão me tratando disseram que eu estiquei a corda demais, que fiz mais coisas do que deveria fazer e em menos tempo do que seria razoável. Eu fui além dos limites que minha saúde permitia e ignorei todos os sinais físicos e avisos domésticos.

Estaria o Boechat triste ou sob um elevado grau de estresse ?

Mas, o que é o estresse ?

O estresse é biológico, é uma resposta física aos eventos ou experiências de sua vida (agentes estressores) que fazem você se sentir ameaçado ou que perturbam o seu equilíbrio de alguma forma. É a sensação de que os recursos (mentais, espirituais, físicos) não são suficientes para enfrentar a experiência que está à frente.

O estresse é uma das principais causas atribuídas aos casos de presenteísmo (o profissional vai ao trabalho mas, por uma debilidade física ou emocional, não faz suas atividades de forma adequada, provocando queda na sua produtividade e na do grupo) e de burnout ou síndrome do esgotamento profissional (distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso).

É bom frisar que já em 2013 a Organização Internacional do Trabalho classificou o estresse como uma das “pandemias ocultas”, que contribuiu para o índice de 86% de afastamento do trabalho por enfermidades (pandemia é uma epidemia que atinge grandes proporções).

Antes disso, todavia, em 2009, a Organização Mundial de Saúde já havia alertado que até 2030 a depressão deve se tornar a doença mais comum no mundo, superando o câncer e as doenças cardíacas – e o estresse é um dos maiores responsáveis por ela.

Voltando ao que aconteceu com o Boechat, acredito ser importante pontuar que alguém pode estar deprimido, estar sob depressão ou “ser” deprimido – “ser” não por uma questão de sua essência, de sua natureza; mas por decorrência de alterações químicas de seu organismo, sejam elas de nascença ou não.

Quando falamos de estresse também é muito importante destacar que alguém pode estar estressado, estar sob estresse ou ainda ter comportamentos estressantes. Todavia, acredito não ser adequado dizermos que o “sujeito é estressado”, pois o estresse é resultado da reação do corpo a uma experiência qualquer; ou seja, não “nascemos estressados”. O estresse está relacionado ao ambiente ou contexto no qual vivemos, os quais impactam diretamente em nossos comportamentos e emoções.

Quando alguém já nasce sob depressão, além do uso de medicamentos, pouco há o que se fazer.

Todavia, se não podemos evitar ou eliminar por completo o estresse de nossas vidas, podemos sim aprender a gerenciá-lo, a reduzi-lo.

Como prevenir ainda continua sendo o melhor remédio, quero compartilhar que elaborei o curso “Resiliência: aprendendo a se fortalecer emocionalmente e a gerenciar os efeitos do estresse”; onde além do compartilhar de estratégias, o participante é convidado a aplicá-las na prática em uma questão de seu interesse.

Próxima turma em Jundiaí, nos dias 24/25 de Outubro.

Informações inbox ou em “Curso de Resiliência”

 

O que achou desse artigo?

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s