SOBRE O SUCESSO…….

E-tao-bom-ser-crianca

É inegável que a grande maioria de nós somos pessoas de sucesso.  Afinal, aprendemos a abrir os olhos, a levantar, a andar, a ler, a escrever, a atravessar a rua, a fazer xixi no lugar certo (ops…).

Tamanho foi nosso sucesso que cada um de nós, ao seu modo, cresceu enfrentando e matando, diariamente, alguns leões (já está se enxergando nessa história ?)

Todavia, chegada a fase adulta, quando deveríamos desfrutar de nossos melhores momentos, sem nos apercebermos, de alguma forma a rotina e a acomodação se estabeleceram em nossas vidas.  Passamos simplesmente a acordar, ir à luta, enfrentar e matar alguns leões, voltar para casa, dormir e, muito provavelmente, repetir essa rotina no dia seguinte. Enfim, estagnamos.

Coisa triste !

Com a “fase adulta” perdemos o que tínhamos de melhor: a nossa essência, a nossa inocência, o nosso ímpeto, a nossa coragem, senão a nossa espontaneidade.

Mas, se estagnamos, e o tal sucesso ? O que aconteceu com ele ?

Bem, no nosso país ser questionado é um incômodo, vamos logo achando que fizemos coisa errada (li que na Alemanha, por exemplo, a mentalidade é outra: as perguntas são usadas como meio de estímulo e crescimento – bacana, não é ! ?).

Então, quando pergunto as pessoas se elas já estão satisfeitas, uma das respostas que mais ouço é: – sabe de onde vim ?

A sensação que tenho é que a pessoa está tentando me dizer que já chegou no fim da linha quando, na realidade, ela não se dá conta (ou mesmo não quer) que ainda mal está no meio do caminho; que ainda possui uma longa jornada pela frente.

E quando pergunto para outras pessoas se elas já estão satisfeitas com suas conquistas, se elas não gostariam de experimentar ou de tentar um pouco mais, costumo também ouvir: – você se cobra demais !

É incrível o quanto somos incongruentes.  Todos desejamos o sucesso, a felicidade, o melhor e quando somos questionados sobre nossos planos (de melhoria), sobre quais são nossas alternativas para sairmos do buraco onde nos encontramos, imediatamente trazemos uma enxurrada de desculpas e justificativas – e a felicidade almejada fica parecendo algo tão distante.

Após tantas conquistas em nossas vidas, você já parou para se perguntar o que será que hoje nos limita tanto ?

Minha opinião é a de que simplesmente crescemos e enquanto isso ocorria fomos sendo repreendidos, desestimulados; fomos ficando com medo. Medo de errar, medo de perder, medo de se frustrar, medo de chorar – como se tudo isso não fosse normal ou mesmo como se nada disso fizesse parte da vida. Quem diria: ficamos com medo de ser feliz e de ter sucesso !.

Mas, e agora ?

Bem, cada um dá o que pode e sempre acredita que está fazendo o seu melhor.

Se achar que aonde chegou já está bom, é fácil: basta ficar onde está e apenas desfrutar do que já conquistou ( mas lembre-se: água parada apodrece ).

Por outro lado, se sua alma andar irrequieta ou se você tiver comichões pelo corpo, acho que você já sabe que só reza brava ou apenas bons pensamentos ou pensamentos positivos não resolverão. Algum suor vai ter que novamente pingar (e que sejamos gratos por essa oportunidade).

Falando em pensamentos positivos, as livrarias estão cheias de obras de “caras” que enchem os bolsos dizendo para pensarmos positivamente.

Como me considero uma pessoa extremamente positiva, não acham que eu deveria estar nadando em rios de dinheiro ? Se você já tentou ficar pensando positivamente, mesmo que por algum curto espaço de tempo, também não deveria ter tido algum sucesso, ainda que proporcional a esse tempo ?

Apesar de estar sendo irônico, acredito sim na força primária do pensamento.  Então vou me justificar: acredito que, para que os pensamentos ditos positivos de fato funcionem adequadamente, seja necessário fazermos alguns ajustes nas nossas histórias de vida, resgatarmos ou quem sabe fazermos as pazes com as crianças que um dia fomos.

Não aquelas crianças birrentas, teimosas, impacientes, agressivas.  Essas não nos servem mais.  Afinal, crescemos.

Mas, acredito sim que precisamos urgentemente resgatar nossa grandeza ( que deve andar adormecida ), o melhor da criança que um dia já fomos – irreverentes, ousados, audaciosos, com uma certa dose de inocência, entusiastas, corajosos (e acho que todos nós de alguma maneira sabemos exatamente como e o que precisa ser feito para que isso aconteça).

Sabia que um dia disseram para Walt Disney que ele “não tinha imaginação”; para o Michael Jordan que ele nunca seria um bom jogador de basquete; para o Thomas Edison desistir, pois ele nunca conseguiria inventar a tal lâmpada ? E há tantas outras histórias…..

E agora ? Algum passo novo em sua vida ? Alguma nova muda de árvore por plantar ? Algo diferente por fazer ? Algum lugar novo por visitar ? Algo para aprender ou ensinar ?

O que pensa em fazer com suas “limitações” ? Até que ponto são reais ou imaginárias ?

Tem planos ? Quais são seus planos ?

Ou apenas fará parte do time que costuma repetir “é assim mesmo !” ?

O que achou desse artigo?

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s